21 32533235

Do Branco ao Tinto

 

Verão... Outono
Assim como as estações transformam a paisagem, o branco dá espaço para o rose podendo ser compartilhado também da companhia de um tinto.
Nas estações mais quentes até o final de março em grande parte do Brasil o consumo de espumantes e vinhos brancos dominam as tendências de mercado.

Os brancos trazem a refrescância, com a acidez um pouco mais elevada, vinhos e espumantes trazem notas aromáticas cítricas que impulsionam o consumo nas temperaturas elevadas que dominam o território.

O Outono é a estação de transição para temperaturas mais amenas, onde segundo o comportamento social saem dos armários vestes de meia estação, junto a isso abastecem as adegas vinhos e o tom perola substitui o amarelo palha.

Do rosa pálido até o rosa intenso podendo chegar próximo ao violáceo, podemos caracteriza-los como versáteis pois possuem o frescor dos branco e 
dançam como bailarinas na diversidade sobre a sua intensidade de cor e volume em boca.
Diversas são as possibilidade para elaborar um vinho ...Pinot Noir, Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Cinsault, Carignan, Mourvèdre, Grenache, Sangiovese, Syrah e Merlot...

O enólogo é o artista que transforma uvas tintas puras ou em corte com uvas brancas tudo em mágica para o vinho rose,
dos clássicos de provence aos intensos vinhos roses das uvas vindas de regiões vulcânicas e zonas tropicais, entretanto cabe ressaltar que o vinho é basicamente definido pelo enólogo.

Quando falamos dos roses, devemos entender que existem quatro maneiras de produzi-lo, e já adiantamos que em todas elas, muito raramente o carvalho é utilizado.
A "prensagem direta" é o método em que as uvas tintas são trituradas e prensadas (exatamente como na produção de vinho branco), extraindo desta forma, 
apenas uma pequena porcentagem da cor das cascas das uvas, resultando em um rose de tonalidade clara e delicada.

No método de "maceração curta", as uvas tintas são manipuladas como na vinificação tradicional dos tintos, e uma vez que a fermentação está acontecendo, o suco é retirado entre 6 e 24 horas após o início do processo, ainda em temperaturas frias. Quanto maior o tempo em que o vinho permanece em contato com a pele da fruta, mais profunda sua cor.

O terceiro método é o "saignee" (ou sangria), em que uma parte do suco (cerca de 10%) é removido e o restante permanece em contato com as peles para a produção de vinho tinto.
Neste processo o rose é um subproduto, com tons mais escuros e tipicamente mais alcóolicos. 
Por fim, o método conhecido como "corte", e geralmente considerado o de menor prestígio, consiste em simplesmente misturar uvas tintas e brancas no processo de fermentação, 
sem previsibilidade do resultado.

Esta é a magia do rose, com todas as suas possibilidades de cores, aromas e sensações.

Para além do vinho nossa indicação vai para o espumante da vinicola Don Guerino, um rose feito da Uva Malbec - leve, refrescante e versátil que possibilita uma infinidade de combinações.

Esta é a magia do rose, com todas as suas possibilidades de cores, aromas e sensações.

Dimas L Souza de Paula

Consultor de Vinhos  

Gerente de Expansão - Grenache Importadora

Av das Américas, 12300, sala 148, Blue Center - Barra da Tijuca – Rio de Janeiro
21 32533235 / 21 3217 7501
sac@grenache.com.br

© Grenache 2019 | Todos os direitos reservados.
Implementação de conteúdo e material fornecidos pelo administrador